5 dicas para você se dar bem no sexo oral e levar sua parceira à loucura

Você sabia que 43% dos homens têm nojo de fazer sexo oral nas parceiras? O dado foi de uma pesquisa feita pela educadora sexual e jornalista Aline Castelo Branco, que estuda o comportamento humano dos brasileiros na prática do sexo oral e da masturbação. Segundo a educadora, o mau cheiro foi o principal fator e, em segundo lugar, a falta de conhecimento.

sexo-oral-curso-aline-castelo-branco

Aline Castelo Branco ministrando o curso de Sexo Oral (Divulgação)

Curso de sexo oral

Juntando esses dados, Aline montou um curso inédito no Brasil para ensinar homens a fazer sexo oral em mulheres. “Não afirmo que todos sejam iguais, mas poucos homens sabem satisfazer uma mulher e menos ainda são os que estão interessados em fazê-lo.   Alguns homens têm grande dificuldade, por exemplo, em saber em que ponto exato tocar para agradar a parceira”, explica Aline.

A educadora sexual passou anos estudando e entrevistando centenas de mulheres e alguns homens também até chegar a um método que tem melhorado a vida de muita gente. São os 5 passos para aperfeiçoar a prática do sexo oral e fazer a parceira sentir muito prazer.

“O método que acabou virando curso, consiste em: Preparação, Exploração, Ação, Ápice e Conclusão”, explica Aline. Ela separou algumas dicas exclusivas do método dela para os leitores da Playboy, dá uma olhada:

1 – Preparação

O beijo na boca deve simular já a chupada na vagina. Deve demonstrar a sucção, a maciez, a volúpia e a continuidade.

2 – Exploração

Evite ir direto ao clitóris.  A língua pode ser trabalhada de várias maneiras, uma delas é a língua pontiaguda ou língua-faca. Nessa forma, você faz ponta com a língua. Ela assume um formato quase cilíndrico com ponta e apesar da ponta ser fina, vai aumentando a espessura à medida que vai se aproximando da parte de dentro da boca. Ideal para simular penetração.

sexo-oral-dicas

Primeira turma do curso de Sexo Oral em aula (Divulgação)

3 – Ação – O abraço achatado

Aqui, abocanhasse a vagina e achata-se a língua friccionando-a sopre a vagina (principalmente sobre o clitóris), de cima para baixo, aumentando a área de ação.

4 – Ápice – O ar quente

Essa é a mais importante na minha opinião: é o ato de soltar, lentamente o ar quente sobre a vagina enquanto a chupa. Ideal para o momento de ápice, quando se está conservando o mesmo movimento para que a mulher alcance o gozo. Cada soltada de ar quente amplia sensivelmente o prazer e o tesão da mulher. Pode ajudar e muito a promover o gozo.

5 – Conclusão

Não saia direto depois do orgasmo da parceira. Deve-se afastar para que a sensibilidade diminua e não vire incomodo, e pode-se continuar, suavemente, dando beijinhos ou lambidas bem macias soltando o ar quente mais afastado.