6 hotéis de luxo sem ostentação para o inverno

POR MIRELA MAZZOLA

Os dogmas de conforto e do serviço hoteleiro perfeito são tão mutáveis quanto a moda e o design. O que era sinônimo de luxo invernal há alguns anos (inspiração alpina, fondue e um buzinaço de carros importados) hoje pode representar ostentação ou excesso desnecessário – o próprio termo mordomia parece estar em desuso. Quartos equipadíssimos e com decoração apurada, mas sem afetação, receitas com ingredientes do entorno no café da manhã e mão de obra local (ainda que profissional e em bom número) estão em alta nas hospedagens de ponta do país – a lista a seguir reúne seis bons exemplos. Para eles, o novo luxo valoriza o silêncio, a privacidade e os elementos nacionais, ainda que essas experiências custem caro e que, antes de vivê-las, se tenha acordado entre lençóis de algodão egípcio. É uma busca pela autenticidade, que exalta o que é local, e que tem wi-fi. A senha, por favor?

Botanique Hotel & Spa, Campos do Jordão (SP)

Esqueça a arquitetura alpina e o centrinho intransitável de Campos do Jordão do inverno. Inauguração notável na hotelaria nacional recente, o Botanique Hotel & Spa abriu as portas há quatro anos com a proposta de valorizar a brasilidade e o que chama de pós-luxo, em que reinam o conforto sem grifes e a simplicidade. Entre as montanhas do bairro rural dos Mellos, afastado da cidade, a construção envidraçada é decorada com peças de designers brasileiros e madeira de demolição vinda de fazendas do interior. No banheiro das 17 suítes (seis integradas a casa-sede e onze distribuídas pelo terreno), revestidos pela rara ardósia chocolate, as torneiras jorram água mineral e os amenities (assim como a fragrância que perfuma os ambientes e os cosméticos do spa), são produzidos a partir de espécies da flora da Serra da Mantiqueira. No restaurante contemporâneo, as cartas de vinhos, águas e cervejas privilegiam rótulos nacionais. Depois do jantar, é hora de rumar para os quartos, com varandão, vista panorâmica e pelo menos 100 metros quadrados. Durma com essa.
Quanto custa: de R$ 1.490 (de segunda a quinta) a R$ 1.990 (aos fins de semana).
Como chegar: Rua Elídio Gonçalves da Silva, 4000, Bairro dos Mellos, 12/3662-5800, botanique.com.br. Campos do Jordão está a 195 km de São Paulo.

Botanique_1041

Provence Cottage & Bistrô, Monte Verde (MG)

Depois de amanhecer na cama envolta por lençóis de 600 fios, é hora do café da manhã, que pode ser servido em qualquer um dos seis chalés. Bolo de chocolate com capim-cidreira colhido em horta própria, queijos artesanais e pães produzidos por fermentação natural a poucos metros do quarto estão entre itens. Cada um dos refúgios é decorado com móveis garimpados em antiquários da Europa pelos proprietários Ari Kespers e Whitman Colerato. A inspiração provençal se estende a sensação de savoir vivre ao chegar à propriedade, pontuada por pés de lavanda, onde os hóspedes são recebidos com champagne e pães de mel caseiros e encontram amenities da francesa L’Occitane. O chef Kespers, autodidata talentoso, responde pelo restaurante de onde saem, além do café da manhã, o chá da tarde incluído na diária e pratos que combinam influências francesas a ingredientes da roça, como a bochecha de porco ao molho de tamarindo, curau e pele de milho.
Quanto custa: de R$ 692 (de segunda a quinta) a R$ 1.160 (aos fins de semana).
Como chegar: Rua Cedrus Libani, 380, 35/3438-1467, provencecottage.com.br. Monte Verde pertence ao município de Camanducaia, a 170 km de São Paulo e 500 km de Belo Horizonte.

chalé cassis

Chapéu de Palha, São Francisco Xavier (SP)

Em um terreno rodeado pela serra, a proprietária e arquiteta Mônica Gallon projetou os seis chalés com teto revestido de piaçava. É ela quem comanda a equipe de um funcionário por unidade. Os tons neutros do tijolo aparente, da madeira e das fibras naturais predominam nas cabanas – a rede na varanda, a lareira e o ofurô duplo ajudam a compor a ambiente propício para o relax a dois. Uma delas, mais turbinada, conta ainda com duas duchas e cama king-size com lençóis de algodão egípcio 1000 fios. Pães, bolos e coalhada feitos na casa são servidos no café a qualquer hora do dia (ou no quarto, mediante uma taxa). Se valer mesmo insistir na dieta, casais fitness podem solicitar quitutes sem glúten e lactose.
Quanto custa: a partir de R$ 1.880 (valor de duas diárias aos fins de semana ou três de segunda a quinta).
Como chegar: Estrada do Guaxindiba, 1200, Guaxindiba, 12/3926-1767, chapeudepalha.com.br. São Francisco Xavier fica a 150 km de São Paulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

ModeVie Boutique Hotel (Gramado, RS)

Os 16 quartos são diferentes em tamanho e decoração – o maior deles tem sala de jantar e duas varandas –, mas todos contam com equipamentos high-tech, como TV full HD, home theater, iPad e banheiros com piso e toalheiro aquecidos, além de cama king-size envolta em enxoval Trousseau. O atraso para o café da manhã parece inevitável, mas tudo bem: ele é servido até as 13h no restaurante, em cinco etapas, ou ainda na suíte. Embora haja unidades com hidromassagem cromoterápica, o lugar mais indicado para relaxar é o spa que leva a assinatura Kur, referência em massagens e tratamentos com sede em Gramado. O relax continua no passeio de bicicleta pelo Centro (são oferecidos modelos vintage, sem custo) ou em rolês privativos organizados pelo concierge, como uma visita a dois ao Vale dos Vinhedos ou um jantar com vista para os cânions de Cambará do Sul.
Quanto custa: de R$ 560 (de segunda a quinta) a R$ 640 (aos fins de semana).
Como chegar: Rua Augusto Zatti, 160, Centro, 54/3295-1075, modevie.com.br.
Gramado fica a 135 km de Porto Alegre.

Su+¡te.14.Foto.1

Ronco do Bugio, Piedade (SP)

Supercharmosa, a pousada em meio a mata fechada é acessada por uma escadinha estreita. Chegando lá, o hóspede é recebido com um drinque de boas vindas na recepção mais frutas ou brigadeiros no quarto. O som dos bugios espalhados pelo terreno e a água gelada que jorra de uma pedra para abastecer a piscina natural começam a descontrair os ombros. Servidas no restaurante com vista para o verde, as receitas são repletas de ingredientes da região – o café da manhã é servido até 16h. A decoração das 15 suítes varia (algumas lembram casinhas mineiras e têm um gostoso quintal privativo), mas, em comum, inclui móveis de demolição, janelões e paredes com acabamento rústico. Cobertores de lã pura, amenities L’Occitane e máquina de café expresso deixam pra lá a dura tarefa de deixar o quarto.
Quanto custa: R$ 840 (durante toda a semana).
Como chegar: Estrada PDD, 128, Bairro dos Pires, 15/3299-8600, roncodobugio.com.br. Piedade fica a 113 km de São Paulo.

Ronco do Bugio_suite8

Nau Royal Hotel Boutique (Cambury, São Sebastião, SP)

Construído nas areias da Praia do Cambury, no litoral norte paulista, este hotel se autointitula como um “espaço para celebrações”. Faz sentido: distribuídos em três pisos, os 13 quartos são destinados a casais (crianças não são permitidas no hotel), que usufruem dos lençois Trussardi de 600 fios, das amenities L’Occitane, das banheiras, dos ofurôs e de um serviço de concierge atencioso. A marca francesa de cosméticos e tratamentos também montou um espaço de SPA, no qual é possível fazer massagens e outros procedimentos. Um deque pé na areia na área externa concentra bangalôs, espreguiçadeiras, bar, piscina, piscina aquecida.
Tudo isso torna um período na praia convidativo mesmo no inverno (ainda mais nesse inverno brasileiro, convenhamos). Afinal, passar uns dias contemplando o mar nunca é demais, certo?
Quanto custa: diárias a partir de R$ 1300,00
Como chegar: Estrada do Cambury; Avenida Antônio J. Marques Patriarca, 1057. www.nauroyal.com.br.

Nau Royal